O DESAFIO DE CRIAR BEM OS FILHOS

            Em se tratando de pais e filhos o dilema é antigo. Ninguém sabe o que é certo ou errado, pois não há escola para  pais. Como orientar filhos para que eles fiquem longe das drogas, exerçam sua sexualidade com responsabilidade, tenham dignidade e valores éticos respeitáveis e não sejam vítimas do mundo violento lá fora? Haja angústia. Mães e pais saem para trazer o sustento do lar e deixam a criança aos cuidados da escola, isto gera neles uma culpa que muitas vezes é a grande responsável pela falta de educação dos filhos. Os pais acabam não se sentindo encorajados em educar, como se esta tarefa fosse trazer um sofrimento insuportável ao filho. Contudo a tarefa de ensinar valores morais e éticos é dos pais. E ao contrário de sofrimento, limite causa segurança, necessária ao desenvolvimento positivo da criança.

            O primeiro limite é que os pais têm a obrigação educativa de não serem tão hipersolícitos, atropelando contrariedades próprias, fazendo para os filhos coisas que não querem fazer. Respeitar o limite dos pais é aprender os limites da vida. Quando o filho não obedece e a vida continua normal, a criança estará entendendo que a atitude incoerente e inconstante dos pais mostra que os seus atos não tem conseqüência. Um gesto educativo tem de ter coerência, constância e conseqüência. É importante não voltar atrás em todas as situações. Não é não e pronto. Para que a criança entenda o que é certo e o que é errado é necessário termos firmeza em nossas decisões, por este motivo é importante pensarmos antes.  Mais do que isso, é importante que os dois, pai e mãe, estejam de comum acordo. Mesmo que a decisão tomada não tenha sido a melhor, o positivo será os dois abraçarem. A criança precisa poder acreditar nos dois, no pai e na mãe. Uma educação com responsabilidades, gera um adulto resolvido.

            Limite é segurança. Quanto mais seguros estivermos mais chances de sucesso teremos. Pessoas que não tem medo de colocar suas iniciativas em prática são aquelas que na infância puderam errar e serem ensinadas, puderam tentar, educadas com firmeza e muito amor. Educar é amar.

 

A PROPOSTA DO CLUBE DA CRIANÇA

            No decorrer dos anos cada vez mais as mães precisam sair de casa para trabalhar. De um lado para o sustento da família, de outro por uma questão profissional e pessoal.

            Desta forma faz-se necessário um local adequado para a guarda de seus filhos. Este local além dos cuidados higiênicos e de alimentação deve educar.

            Entendendo a infância em sua totalidade soubemos que a fase que envolve a tenra idade, de zero a seis anos, é uma etapa fundamental no desenvolvimento do ser humano. Por esse motivo esse lugar deve ser um ambiente estruturado psicologicamente, físicamente e pedagogicamente.

            Atividades lúdicas que contemplem a evolução cognitiva da criança e atividades dirigidas que aprimorem seus conhecimentos já adquiridos, além de ajudá-la na aquisição de novas aprendizagens.

            Os profissionais devidamente qualificados devem realmente gostar de trabalhar com criança nesta faixa etária para transmitir muito afeto de ternura àqueles que forem assistidos.

            A Escola de Educação Infantil Clube da Criança, tem história de vinte anos de atuação com educação infantil em Sapucaia do Sul e São Leopoldo e orgulha-se da lei federal número 9.394 de 1996 que define um paradigma novo para algumas instituições, não para a Clube da Criança que sempre trabalhou dentro destes critérios. Esta Lei de Diretrizes e Bases, supera a concepção de um atendimento assistencialista ou de guarda das crianças cujas famílias precisem trabalhar, para um conceito que reside nas funções de educar e de cuidar consubstanciado com propostas pedagógicas em seu regimento escolar.

            Assim sendo, a lei federal número 9.394, sancionada em 20 de dezembro de 1996, no seu artigo 29, apresenta a Educação Infantil como a primeira etapa da Educação Básica, voltada para o desenvolvimento integral da criança até os seis anos de idade. Enquanto tal, a Educação Infantil passa a integrar formalmente a educação escolar.

            Vinculada a esta realidade a Escola de Educação Infantil Clube da Criança se preocupa em pensar: COMO A CRIANÇA APRENDE?

            Para responder esta questão teríamos que pensar, porquê a criança aprende? O que leva a criança a querer aprender?

            Se nos reportarmos a nossa infância lembraremos que tivemos diferentes tipos de professoras e de aprendizados dentro da escola. Ao nos lembrarmos de nossos aprendizados iniciais, provavelmente teremos memorizado muito mais o que aprendemos com as professoras mais queridas, mais dedicadas.

            Isto acontece porque só assimilamos aquilo que queremos, aquilo que estamos abertos a assimilar. Assim entendemos que assimilamos de fato aquilo que nos é transmitido com amor.

            A vivência em sociedade é essencial para transformação do homem de ser biológico em ser humano. Nas relações com os outros é que construímos os conhecimentos que permitem nosso desenvolvimento mental e nossa aprendizagem. Podemos entender que a criança nasce dotada apenas de funções psicológicas elementares, como os reflexos e a atenção involuntária, presentes em todos os animais mais desenvolvidos. Com o aprendizado cultural, no entanto, parte dessas funções básicas transformam-se em funções psicológicas superiores, como a consciência, o planejamento e a deliberação, características exclusivas do homem. Essa evolução acontece pela elaboração das informações recebidas do meio. Com um detalhe importantíssimo: "As informações nunca são absorvidas diretamente do meio. São sempre intermediadas, explícita ou implicitamente, pelas pessoas que rodeiam a criança, carregando significados sociais e históricos".

            Isso não significa que o indivíduo seja como um espelho, apenas refletindo o que aprende. "As informações intermediadas são reelaboradas numa espécie de linguagem interna". "É isso que caracterizará a individualidade".             Por isso no Clube da Criança entendemos que a linguagem é duplamente importante. Além de ser o principal instrumento de intermediação do conhecimento entre os seres humanos, ela tem relação direta com o próprio desenvolvimento psicológico.

            "Nenhum conhecimento é construído pela pessoa sozinha, mas sim em parceria com as outras, que são os mediadores".

            Nos anos 80 a linha educacional contrutivista se expandia, impulsionada pela psicóloga argentina Emília Ferreiro, discípula de Piaget, no século 21 vemos os Ciclos. Todas estas propostas buscam repensar e refazer a sistemática de ensinar. Contudo parece que não está bem aí a questão relativa a realmente ensinar, transmitir.

            Acreditamos que a base de todo o processo cognitivo é o afeto.

            Na Escola de Educação Infantil Clube da Criança, encontramos o afeto de amor como vínculo fundamental para o processo inteligente das crianças. Neste local se produz aprendizagem e isso para nós é fundamental. A direção, na pessoa de Cláudia Rosângela Mattos de Lima, está sempre inserida nas novas propostas de ensino com muito entusiasmo. Pela profissão e formação é uma pessoa muito exigente e por opção dirige o Centro de Educação Infantil Clube da Criança e busca fazer o melhor por entender que na vida não há nada mais valioso do que a educação.

            Nossa preocupação de primeira ordem é o crescimento pleno e feliz das crianças a nós confiadas. Desta forma mantemos uma equipe qualificada e uma estrutura sólida que nos dá segurança de que este desejo está sendo atendido.

            Trabalhamos norteadas pela Proposta Pedagógica Progressista:

            Entendemos que para o ser humano ter iniciativa, ele precisa ter segurança e esta se adquire desde quem ensina. Se temos a base nos dizendo que podemos ir, porque teremos medo? É importante ressaltar que medidas audaciosas no que se refere a educação estão sempre imbuídas de muita responsabilidade e capacidade das pessoas que dirigem as propostas, neste caso é relevante citar que a proposta pedagógica do Centro de Educação Infantil Clube da Criança leva em conta a capacitação profissional e o primor do amor pelo que faz e isto faz a diferença no empenho de toda a equipe de trabalho.

            A criança aprende (toma conhecimento) quando quer apreender (apropriar-se) e para que isso ocorra quem media deve ter o desejo de que ela queira apreender (apropriar-se).

            Movimentos e processos determinam nossa capacidade de apreensão do conhecimento. A assimilação acontece quando entendemos que estamos sendo aceitos, quando sentimos acolhida, quando percebemos que quem intermedia nossas aprendizagens se importa conosco.

            Acreditamos que uma Escola de educação Infantil deva ter a preocupação de dar condições psicológicas para que suas crianças sejam equilibradas para assim adquirirem uma excelente capacidade cognitiva.

            Entendemos que não é o método educacional que dá maiores ou melhores condições de raciocínio para uma criança, mas sim a forma como ensinamos.

            A capacidade de criar está intimamente ligada ao fator segurança. A criança precisa sentir-se segura para ousar, para arriscar, para ser criativa.

            Educar é uma tarefa muito especial que precisa estar fundamentada no amor.

            Acreditamos que a base do processo cognitivo é o afeto.

            A Escola de Educação Infantil Clube da Criança é uma casa aberta onde a qualidade de trabalho e permanente carinho é nossa preocupação de primeira ordem. Promovemos o crescimento pleno e feliz das crianças a nós confiadas.

 

CLÁUDIA ROSÂNGELA MATTOS DE LIMA

PSICÓLOGA PELA UNISINOS

MESTRE EM DESENVOLVIMENTO PELA UFRGS

DIRETORA DA ESCOLA DE EDUCAÇÃO INFANTIL CLUBE DA CRIANÇA